Sobre a Ordem no Culto e a Bagunça Que Ocorre em Muitos Ministérios!

6 de dezembro de 2017

Primeiramente, quero compartilhar um vídeo que me foi encaminhado e em seguida apresentarei um texto acerca desta situação manifesta no vídeo que, por estranho que pareça, é muito comum no meio pentecostal por toda parte.

Vamos ao vídeo!

Em resposta à pergunta: “o que devemos pensar deste testemunho?”

Em determinado momento da exposição, o pregador disse que havia uma lei no barraco: “tem que orar na entrada”; e outra lei na saída: “tem que orar na saída”!

Em minha vida (e creio que em todos os discípulos da Igreja de Cristo) existe uma lei permanente e ela advém de um mandamento apostólico que diz o seguinte:

1ª Coríntios 4:6 – “E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro“.

Então, a regra para analisar todas as coisas é a seguinte:

  1. Não importa se é Paulo Apóstolo, ou o grande Professor Apolo (e nem se for o pastor mais famoso do mundo, o concílio denominacional, etc.);
  2. Por amor ao povo da Igreja;
  3. Para que todos da Igreja possam aprender;
  4. Nunca se pode ir além do que está escrito;
  5. Para que ninguém seja “maioral sobre ninguém”, para que ninguém se “imagine maior do que os outros”.

Isto explicado e fundamentado, eu posiciono este princípio que acabo de mostrar pela Palavra de Deus (está escrito) com outro bem poderoso que afirma o seguinte:

Efésios 2:20 – “Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra de esquina”.

Pode haver muito tipo de igreja no mundo, pode ter todo tipo de vozes e de explicações, mas eu ficarei sempre com o princípio de que apenas aquilo que se fundamenta “NO ESTÁ ESCRITO” e apenas aquilo que foi ‘DETERMINADO POR APÓSTOLOS E PROFETAS” nesta base do “ESTÁ ESCRITO” tem validade espiritual diante de Deus e dos homens que são fiéis.

Esta é a base da Igreja Verdadeira e não de modismos e de movimentos emocionais!

Ora, no caso que apontei no vídeo (e há milhares de outros deste tipo), temos uma posição pessoal conclusiva, com base exatamente no ESTÁ ESCRITO determinado pelo Apóstolo Paulo.

  1. Não se viu na explicação deste nobre pregador, bem intencionado, em nenhum momento, ele dizendo claramente: ESTÁ ESCRITO. Ele não cita um único verso da Bíblia para fundamentar absolutamente nada do que ele está dizendo.
  2. Ele é emocional o tempo todo e parece desejar “barulho” com esta coisa de “glória a Deus”, “louvores”, ou qualquer coisa que “pareça ser fervorosa” na referida Congregação – na análise dele.
  3. E este fervor, pelo que diz ele, deve se basear em dois princípios determinados por ele mesmo ali na hora da pregação:

(3.1) interromper o culto a qualquer momento para dar glória a Deus é uma espécie de mandamento de Deus dado ao rapaz através de um carcereiro e de um Juiz;

(3.2) a Igreja deverá fazer isto a partir do momento em que ele Pastor usa de autoridade para impor isto como normal para preservar o rapaz que não havia sido visitado porque ele mesmo “pastor” está sem fazer o trabalho para o qual “é pago para fazer” – mas, a despeito de qualquer explicação – passa por cima da Liderança inteira, põe ela pra fora do púlpito, rechaça o fato de que ela tem anos de história na localidade e mantém as contas pagas e a estrutura em pé, para criar um “mimimi e um chororô” em torno de uma baboseira emocional.

Ora, precisamos apenas de dois pontos fundamentais para acabar com esta imensa tolice e com outras do mesmo gênero.

  1. O primeiro ponto é que não existe autoridade em pessoa alguma e nem num Concílio inteiro para derrubar um mandamento claríssimo dado por um Apóstolo ou Profeta do nível de Paulo e considerado por 2 milênios como ordenança primária da liturgia da verdadeira Igreja de Cristo. Onde ESTÁ ESCRITO ISTO?

1ª Coríntios 14:

26  Que fareis pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.

27  E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete.

28  Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus.

29  E falem dois ou três profetas, e os outros julguem.

30  Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro.

31  Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados.

Mas, vemos curiosamente que no verso 40 deste mesmo capítulo, o Apóstolo Paulo mata qualquer dúvida dizendo claramente:

40- Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.

Ora, se lermos o capítulo 14 inteiro de 1ª Coríntios, palavra por palavra, cuidadosamente, com a seriedade de quem busca entender a explicação acerca de COMO TEM QUE SER UM CULTO COLETIVO, não ficará qualquer dúvida do que acabamos de ler e podemos pontuar em 4 itens simples:

1-    As coisas devem ser feitas para edificação e não para parecermos LOUCOS – logo o Pastor comete um grave erro de dizer que “a partir de agora um louco estará à frente e um pastor vai segui-lo”.

2-    Línguas só podem ser faladas SE HOUVER INTÉRPRETE caso contrário: cale a boca.

3-    Pessoas com “supostas profecias” só podem falar SE TIVER UM GRUPO DE JULGAMENTO do que está sendo apresentado e TEM QUE SER PELA ÓBVIA REGRA DO ESTÁ ESCRITO.

4-    Se outra pessoa receber algum entendimento, alguma revelação, uma compreensão (verso 30) O RESTO TODO DEVE CALAR A BOCA e o sujeito explicar o que está propondo e que, “supostamente recebeu de Deus”. O princípio é claríssimo: FAZER AS COISAS COM ORDEM E DECENTEMENTE. Isto é inegociável!

Portanto, esta exposição deste Pastor sobre este rapaz e de todos os envolvidos na cadeia de conexão da história dele, podem ter qualquer valor na vida pessoal do rapaz, porém, está longe de estar alinhado com O TEMA PRINCIPAL DELE QUE É TER UMA IGREJA FERVOROSA E DEDICADA – que, obviamente, não se conjuga apenas com esta coisa de “dar glórias a Deus” e “fazer barulho”. Para ser Igreja de alto nível há de se investigar em todo o Novo Testamento muito mais e ouvir-se muitos pastores, diáconos, professores, e pessoas com muitos cabelos brancos conquistados às custas de lutas na Causa do Reino por décadas.

2)    O segundo ponto, está mais do que claro, é que este nobre cidadão que se apresenta como Pastor, tem uma boa vontade, uma boa intenção, mas não tem preparo para ser Pastor. Ele agiu neste vídeo com tal infantilidade espiritual, que nem percebeu que ele derrubou o trabalho de homens e mulheres que por décadas lutaram para edificar um lugar para ele vir e pregar bobagens como esta e, mais ainda, ter uma Assessoria que vem ao mundo da Internet e coloca isto como se fosse grande coisa!

Estou dizendo que ele, na qualidade de Pastor tem que obedecer ao mandamento bíblico que determina o seguinte:

1ª Timóteo 3 –

1  ESTA é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja.

2  Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;

6  Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo.

O texto de 1ª Timóteo 3 tem outras determinações para quem deseja ser Pastor, mas é importante que aqui, no contexto da minha exposição relativa especificamente ao vídeo, verifiquemos que há três pontos claramente delineados e que não podem ser esquecidos, porque ESTÁ ESCRITO como as coisas devem ser:

1-    Tem que ser SÓBRIO e não LOUCO – portanto, apregoar do púlpito que vai agir como um louco, contrariando o mandamento da ORDEM NO CULTO que repetirei; ESTÁ ESCRITO há mais de 2 mil anos pelo Apóstolo Paulo.

2-    Eu desafiaria qualquer pessoa a mostrar que consegue aprender com profundidade alguma coisa com um monte de pessoas falando ao mesmo tempo juntas. A Palavra de Deus demanda reflexão e cuidadosa memorização – se um sujeito fica fazendo barulho porque ESTÁ SENTINDO QUE DEVE SE MANIFESTAR, é claro que alguma coisa está errada nisto. Deus não pode entrar em contradição! Isto é completamente errado. Então, Deus enviou o rapaz da história para PERTURBAR A IGREJA? Que estupidez é esta? Então, todas as vidas, com suas lutas e complicações transversais, questões múltiplas não valem nada e apenas e tão-somente a barulheira deste rapaz e o critério dele acerca de quando Deus lhe fala é que vale? Tá errado, profundamente errado e, isto me faz desconfiar da mão de Deus no processo inteiro que envolve a história que foi contada.

3-    Por fim, um Pastor NÃO PODE SER NEÓFITO. A palavra “neófito” significa exatamente o seguinte em qualquer dicionário: “pagão recém-convertido ao cristianismo; cristão-novo.” Ora, que conversa é esta de retirar do púlpito toda a liderança de anos de lutas no Evangelho, na edificação da Igreja, no pagamento das contas, de sustentação de toda uma obra e colocar lá no púlpito um sujeito que até pode ser bem intencionado (nunca duvidarei da conversão e da boa fé do rapaz) – e colocar lá em cima no lugar deles UM NEÓFITO? Está errado.

Desta forma, encaminho a quem me pede uma posição (não opinião) sobre o vídeo e para que devolva a quem lhe entregou achando que é grande coisa esta minha mensagem.

Porque o que acabamos de assistir na apresentação deste Pastor (14 minutos) – foi um erro sobre outro erro e, ele deveria ser imediatamente chamado pela Presidência do Ministério para se retratar deste monte de bobagens que prestam um desserviço à Causa do Reino de Nosso Senhor Jesus Cristo, haja vista que, desobedecendo aos princípios bíblicos que expliquei nesta manifestação, ele derruba a ordem do culto, propõe uma igreja maloqueira e bagunçada onde qualquer doido, contando uma historinha de conversão que vai contra a ordem apostólica derruba séculos de ordem e respeito litúrgicos que não estão aí por acaso.

A ordem é clara, na Igreja tudo tem que ser feito “com ordem e decência”! O resto é bagunça!

Prof. Dr. Pr. Jean Alves Cabral

 

 

 

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas