Sobre a Violência no Brasil e no Mundo!

“Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor”. (2.ª Coríntios 3:18).

Recebi no dia 16/01/2018 uma coleção de fotos de verdadeiras atrocidades praticadas por islâmicos na Líbia. Coisas que não vou descrever aqui porque são indignas de Vossos ouvidos e de minha ética. Basta que eu diga que são do mesmo estilo praticado pelo Nazismo em seu auge.

Uma vergonha!

 

Obviamente que tal questão só pode ser resolvida com mais mortes e elas precisam ser levadas a efeito por Tropas da ONU que, sinceramente, deveria ir lá e varrer da vida humana 100% de todos estes amaldiçoados assassinos de crianças, mulheres, trabalhadores comuns, pessoas que nasceram com a cor preta, dentre outros e outros conflitos étnicos que não se justificam e devem ser tratados com o extermínio total desta praga demoníaca!

Não significa que seja insensível ao sofrimento Líbio. Pelo contrário, poderia passar horas falando sobre a mesma desgraça no Laos, no Camboja, na Venezuela, em Cuba. Neste exato momento está havendo um genocídio na Nigéria, outro em Bornéu. E há outros conflitos!

A ‘Limpeza étnica’ está em curso no Sudão do Sul e grupos armados utilizam fome, estupros coletivos e pilhagem de vilarejos como estratégias para atingir determinados grupos, alertam especialistas em direitos humanos da ONU que visitaram o país por dez dias.

As autoridades na China impuseram desde 2009, um toque de recolher noturno em Urumqi, capital da região autônoma de Xinjiang, em meio a uma crescente onda de tensão entre grupos étnicos locais. Assassinatos e mortes por causa do ódio étnico.

 

Mas, estamos no Brasil.

Isto significa que o que está acontecendo na Líbia e em qualquer outro país é sempre uma questão que nos importará muito menos. Há uma razão para isto:

  • SOMOS CAMPEÕES MUNDIAIS DE VIOLÊNCIA POR HOMICÍDIO: 60 MIL POR ANO.

http://g1.globo.com/globo-news/estudio-i/videos/v/brasil-e-campeao-mundial-em-numero-de-vitimas-de-homicidios/5550440/

  • SOMOS CAMPEÕES MUNDIAIS DE VIOLÊNCIA CONTRA PROFESSORES.

https://professorlfg.jusbrasil.com.br/artigos/136798228/brasil-campeao-mundial-na-violencia-contra-professores

Há um genocídio em qualquer um destes Países que mencionei?

Aqui no Brasil há uma onda muito pior.

A simples exposição de cenas de violência, barbárie, satanismo (que é o que são), não são uma mensagem que eu tenha interesse em reproduzir porque tenho estudado nos últimos 45 dias o tema: “O Poderoso Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo” e, tais cenas são abjetas e diabólicas demais para que eu as publique.

Lastimo que a ONU esteja aparelhada com ideologias de Socialistas e Satanistas suficientes para ampliar a praga que foi dita por Cristo em João 10:10: “ladrão que veio matar, roubar e destruir” – em contrafação à Sua postura de promover “vida, vida em abundância”.

Porém, isto não se constrói com diálogos. Não me refiro aos conflitos onde a diplomacia pode ser levada à efeito. Não. Refiro-me à maldição das guerrilhas que atuam com o foco em extermínio para banir do mundo mulheres, crianças, trabalhadores comuns e colocar em seu lugar ditadores, psicopatas, loucos, islâmicos associados com planos de extermínio de cristãos e outros pirados desta estirpe.

Os homens do Mundo Livre em posição de Governança precisam assumir uma posição conclusiva a este respeito.

Ao passo que da parte dos cristãos, apenas nos compete orar e favorecer ao nosso redor o que pudermos.

Mas, aponto pauta técnica, séria e profunda, da lavra do notável Major-General Carlos Manuel Martins Branco (Reserva do Exército Português), para quem quiser ler e entender cuidadosamente a questão étnica em sua amplitude devida:

https://www.revistamilitar.pt/artigo.php?art_id=158

Em nosso caso (Brasil), o desafio da violência se dá por conta de 4 fatores que faço questão de considerar:

  • Falta de um Governo Central com temor de Deus, patriota, defensor do Familismo e, sobretudo, profissional em termos de gestão operacional.
  • Total falta de compromisso com uma política carcerária e penal que seja responsável e que tenha a dignidade de fazer com que os apenados realmente paguem seus débitos e sobretudo, trabalhem para custear as suas vidas dentro do aparato penitenciário.
  • Forças Armadas fraquíssimas para o devido enfrentamento cara-a-cara com o Narcotráfico de Fronteira e, dentro desta perspectiva, falta absolutamente capacidade de tudo (estratégias, inteligência, tecnologias, etc.) para impedir o trânsito de drogas que custeiam cartéis, zonas de guerrilha, organizações criminosas ligadas ao FORO DE SÃO PAULO.
  • Falta de uma postura com “vergonha na cara” das Igrejas Católica e Evangélica – que respondem pela esmagadora maioria da população (86%) e que, está imersa nesta violência toda (60 mil ao ano), exatamente porque o Ministério Cristão Brasileiro é fracassado, falhou, não tem unidade, nem poder algum para enfrentamento real e concreto da vida real e vive de “mimimi” com (a) Teologia da Libertação, (b) Teologia da Prosperidade, (c) Teologia Integrativa, (d) Caixa-Dois – basta ver o caso Eduardo Cunha, mas há outros, (e) metido com organizações ocultistas que premiam orgulho humano o tempo todo na maior cara de pau diante de Deus, (f) cheio de pastores evangélicos gulosos por dinheiro, (g) sem Serviço de Ação Social e, portanto, sem a religião verdadeira de Tiago 1:20-22, (h) por fim sem cumprir as regras simples já determinadas pelo ÚNICO COM PODER DE RESOLVER esta confusão conforme João 15:1-5.
PIBOR, SOUTH SUDAN – FEBRUARY 10 : Young boys, children soldiers sit on February 10, 2015 with their rifles at a ceremony of the child soldiers disarmament, demobilization and reintegration in Pibor over sawn by UNICEF and partners. The children in Pibor, Jonglei State, surrendered their weapons and uniforms in a ceremony overseen by the South Sudan National Disarmament, Demobilization and Reintegration Commission, and the Cobra Faction and supported by UNICEF. (Photo by Samir Bol /Anadolu Agency/Getty Images)

Sou apenas uma voz!

Mas, é como penso!

Prof. Dr. Jean Alves Cabral

www.professorjean.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *