Como Lidei Como a Dúvida Sobre Deus e Sua Palavra?

Por anos eu tive a oportunidade de ouvir dúvidas, críticas, insinuações e tentativas de depreciar os evangelhos e outras partes da Bíblia!

É razoável, considerando que o espírito humano é inquieto e não sossega!

Na minha avaliação, temos que ir com cuidado e pensar o seguinte:

“Senhor, estou diante de Ti desde que nasci; minha vida não é boa e perfeita, tenho muitas falhas e complicações e meu cérebro não tem como abarcar todas as coisas da sabedoria. Me ajude, ao longo de minha existência a nunca ser colocado numa posição que me torne um inimigo de Tua Palavra, nem da Tua verdade, e que possa entender em tempo qual é teu propósito para minha vida e me ajude a cumpri-lo e ser guardado na vida eterna sob Tuas mãos. Amém!”

Foi minha oração quando tive dúvidas sobre a presciência de Deus. Quando tive dúvidas sobre os livros apócrifos. Quando tive dúvidas sobre a imortalidade da alma. Quando tive dúvidas de que a vida vale qualquer coisa além deste lixo que tenho visto neste mundo ruim. E creio que tive mais umas 50 dúvidas brabas – mas que sempre que elas chegaram, eu me calei, fiquei quieto em meu espírito interior e aguardei.

Algumas das dúvidas foram respondidas em dias, outras levaram décadas e outras ainda estão sendo explicadas.

Mas, nunca duvidei de quatro coisas bem simples e que me mantiveram firme diante de Deus na minha mente interior:

(1) Deus é amor (1ª João 4:8) e o amor só pode existir nos princípios quádruplos: respeito, lealdade, verdade e compromisso. Deus tem isto para comigo!

(2) O Espírito de Deus me guia (Salmo 143:10) – e vejo o próprio Deus que é este Espírito (João 4:20-24) guiando-me com pensamentos que surgem em harmonia com a Bíblia, num circuito fechado em que não sou destruído no processo, mas saio maravilhado com as revelações.

(3) Cristo, pessoalmente, cuida da minha pessoa (1ª Pedro 5:7), mas a regra para isto acontecer depende de minha atitude de humildade (1ª Pedro 5:6) e, ela deve ser rigorosa, porque sou informado que “o Diabo nosso adversário anda ao redor querendo destruir-me” (1ª Pedro 5:8-9). Este cuidado deve ser sempre verificado com atenção cuidadosa, porque ocorre como numa relação entre o Pastor e as ovelhas (Salmo 23).

(4) Diante de todas as minhas deficiências e fraquezas, de meus destemperos, de meus pecados, de meus erros, de minhas irritações, de minha impertinência – nunca devo duvidar da graça de Deus que tem poder suficiente para cobrir tudo isto, pelo sangue de Cristo que me purifica totalmente (1ª João 1:7-10 e 2:1-2). Igualmente sei que aquilo que não posso oferecer com a qualidade que seria devida à grandeza de nosso Deus, Cristo cobre com Sua graça (Romanos 5:20) e a minha fé surge desta crença, desta visão, desta convicção e desta relação onde minha mente interior se comunica com Deus e Ele sabe que eu assim penso, creio, considero e não negociarei fora.

Há dúvidas em muitas partes! A mente humana faz perguntas e se ficar presa nelas, se tornam intermináveis. Nunca alcançando a paz mental e estabelecendo a confusão psíquica.

Assim, não posso falar pelos outros de forma alguma (Romanos 14:12; 2ª Coríntios 13:5-6) – mas, posso falar de minha experiência pessoal.

Posso testificar da vida eterna que já está implantada em minha alma! Sim não tenho qualquer dúvida de que eu faço parte da vida eterna com Deus e esta segurança tenho-a aqui e agora! Nenhuma proposta, raciocínio, ideologia ou sugestão me retirará do espírito, do intelecto e da emoção esta certeza – por quê?

Porque ela decorre diretamente do Evangelho (Romanos 1:15-16) que sou orientado a crer para a vida eterna.

Algumas das “gemas da verdade” que estão como um paredão dentro da minha mente e que nenhum poder destruirá enquanto houver um Jean com capacidade de escolha são:

  • João 3:36: “Aquele que crê no Filho TEM A VIDA ETERNA; mas aquele que não crê no Filho não verá avida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”. Notemos que não diz que “terá como sendo no futuro”, mas no aqui e agora.
  • João 5:24: “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve aminha palavra, e crê naquele que me enviou, TEM A VIDA ETERNA, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida”. Esta passagem é de uma importância fundamental em minha fé pessoal, porque ela me garante que eu não preciso viver como um atribulado mental, nem como um confuso, nem como um ansioso ou depressivo – porque acabo de ser orientado pelo próprio Cristo de que se eu ouvir a palavra dEle estou guardado.
  • João 6:47: “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim TEM A VIDA ETERNA”.
  • João 5:39: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas avida eterna, e são elas que de mim testificam” – enquanto muita gente, em matéria espiritual, vive correndo atrás de toda sorte de paliativos, desvios, gurus, e tantos outros para obter a paz espiritual que conduz a vida eterna, eu simplesmente me dedico há 37 anos (estou com 50) a estudar a Bíblia acima de qualquer outro livro, tendo lido dezenas de vezes com uma dedicação que supera qualquer outra atividade que eu tenha realizado nesta existência.
  • João 6:27: “Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para avida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou”. – por anos tenho me dedicado a atuar com base em 1ª João 2:6 em conexão com Mateus 4:23 (9:35) e Atos 10:38 – andando como Cristo andou, isto é: pregando, ensinando, curando e fazendo o bem. Isto é uma doutrina de vida, um fundamento da existência e nada e nem ninguém consegue desviar-me deste propósito, independentemente de onde eu esteja trabalhando ou e que função.
  • João 6:40: “Porquanto avontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia”. – sob nenhuma hipótese eu temo a morte, porque esta promessa feita e os anos de convivência com ela me apontam na direção da fé e da confiança nAquele que a faz.
  • João 10:28: “E dou-lhes avida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão”. – esta promessa é da mesma feição que nos é apontada em 1ª Pedro 5:7 e no Salmo 23. Segurança mental e real para quem vive pela crença firme de que “o sangue de Cristo nos purifica de todo pecado”.
  • João 17:3: “E avida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”. – daí concluo com esta concepção precisa de que a convivência nos termos que aqui estou indicando explica como funciona a mente de um cristão de verdade em termos de segurança da sua salvação, da vida eterna e das condições para estar amparado.

Não me permito contemporizar com o Diabo nas dúvidas, ainda que elas estejam em toda parte neste “mundo prisão” (1ª João 5:19; Apocalipse 12:12) em que estou enfiado até que seja resolvido como tem que ser por Cristo toda esta bagunça criada por anjos decaídos e a própria Humanidade.

Até lá, minha mente segue assim:

“Porque assim diz o Senhor: em retornar e descansar vós sereis salvos; na quietude e na confiança estarão a vossa força” (Isaías 30:15).

“Senhor, Tu ordenarás a paz para nós, porque também Tu tens operado todas as nossas obras a nosso favor” (Isaías 26:12).

Então, tem esta coisa de duvidar dos Evangelhos!

Ela está em toda parte, na Internet, em ateus, em contadores de piadas e uma galera que nunca leu sequer 5 livros críticos do assunto, mas se acha o suprassumo da pauta, como se a vida tivesse 10 mil horas de trabalho objetivo sobre o assunto que, há 2 mil anos só de Cristianismo, um monte de poderosos e demônios tentaram derrubar e acabaram por serem eles mesmos uma prova de que a Palavra de Deus não pode ser derrubada porque ela expressa a mão do Deus Todo Poderoso.

Por exemplo? Vejamos o Evangelho de Lucas!

(Lucas 1:1-4)

“Tendo, pois, muitos empreendido pôr em ordem a narração dos fatos que entre nós se cumpriram, segundo nos transmitiram os mesmos que os presenciaram desde o princípio, e foram ministros da palavra, pareceu-me também a mim conveniente descrevê-los a ti, ó excelente Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio; para que conheças a certeza das coisas de que já estás informado.”

Portanto, pelo que podemos verificar a base usada por Lucas para escrever foi feita COMO UM TRABALHO DE PESQUISA. Se lermos Atos 1:1-5 que é também uma obra inteiramente produzida pelo médico Lucas (que não foi apóstolo) veremos ele garantir que a base de suas investigações, como analista cuidadoso de narrativas dos contemporâneos – a sua manifestação é toda calçada em um trabalho de pesquisa que ele fez. E qualquer pessoa com vivência pessoal com o Evangelho de Lucas sabe que se trata de uma obra “inspirada por Deus” com 100% de certeza!

No caso do evangelho segundo Marcos ele não é apóstolo também. Ele foi assessor de Pedro, de Paulo e de Barnabé. Sua narrativa, afirmam muitos teólogos especializados em textos antigos, é uma narrativa produzida a partir das audições com Pedro e Barnabé.

Mateus ao seu turno foi testemunha ocular. É apóstolo. Esteja em linha direta no dia-a-dia de Cristo e foi um Coletor de Impostos, um sujeito meticuloso em contas e finanças. Mas, toda sua vida foi transformada pela poderosa mão de Cristo!

João é de todos eles o que teve mais tempo para escrever e refletir com cuidado como desejava explicar o Cristo que ele acompanhou até mesmo nos momentos diante da cruz com a sua mãe e Maria Madalena – por isto é o mais celebrado dos evangelhos. João é denominado Apóstolo do Amor por diversos fatores inclusive identificados em suas 3 epístolas e no Apocalipse.

Os críticos dos Evangelhos sempre tiveram um objetivo: derrubar a credibilidade deles como texto crível. E por que precisam desta iniciativa? Porque querem desacreditar a História Bíblica sobre Jesus Cristo (Yehoshua’).

Mas, quando fazemos um estudo transversal dos evangelhos eles “se completam”, não se excluem. São abordagens de uma mesma história, contada por 4 pessoas com a credibilidade adequada à esta iniciativa.

Todavia, eu creio neles, depois de 37 anos de permanente envolvimento e milhares de horas de dedicação espiritual porque eles e eu somos parte unificada de uma mesma corrente criada por Cristo e que está tão bem costurada em minha mente que silencio quando vejo as palavras dos críticos e dos adversários desta Palavra – porque quem convence as pessoas do pecado, do juízo e da justiça é o Espírito de Deus (João 16:7-13) e se alguém já se declara opositor, ela fez uma escolha e toda escolha deste nível deve ser respeitada, da mesma forma que eu escolho ser crente, confiar, conhecer mais e mais e não abrir mão da Sua bondade.

Prof. Jean Alves Cabral

3 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas