Temor do Senhor nas Relações Humanas!

Está definitivamente demonstrado na neurociência, na psicologia, na neurolinguística e na psicanálise que cada um de nós é fruto daquilo que contempla permanentemente, que busca com grande atenção, que deseja acima de tudo ou tem foco prioritário e também pelo que nutre o tempo todo na própria mente.

Somos transformados naquilo que contemplamos!

Nenhum de nós conseguirá ser maior do que os valores fundamentais e princípios que carrega no ser interior. Isto não tem que ver com inteligência, mas com uma escolha.

A escolha de ser sujeito do bem, a escolha de não ser desonesto intelectual, a escolha de ter vergonha na cara e a escolha de procurar a presença de Deus no ser interior.

Eu adotei há alguns anos o princípio pessoal de me afastar firmemente da convivência com quem não quer nem saber deste valor soberano para uma vida decente.

Para mim, um sujeito que (1) não se respeita, (2) é desleal consigo mesmo, (3) que mente para si mesmo a favor de qualquer pretexto ou covardia, e que (4) não tem um compromisso com a vida —- está fora de meu raio de percepção, de atenção, de alinhamento ou mesmo de união.

Eu escolho fechar-me na minha ostrinha e ficar tranquilo dentro dela do que me arriscar lá fora.

É isto um julgamento que faço das pessoas ao meu redor? Não, tenho mais o que fazer!

É um juízo que determinei para mim mesmo.

Por que assumi ser assim?

Porque eu não trouxe nada para este mundo e não vou levar nada dele e, cansei-me aos 50 anos de idade de brigar por coisas que não trouxe e que não vou levar.

Com uma única exceção que está determinada assim para todos nós:

  • Salmos 111:10 – O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; bom entendimento têm todos os que cumprem os seus mandamentos; o seu louvor permanece para sempre.
  • Provérbios 1:7 – O temor do Senhor é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.
  • Provérbios 9:10 – O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência.

Prof. Jean Alves Cabral

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas